Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


A extinta Comunidade do Fundo do Rio do Boi

Publicado em 23/06/2022 às 19:47 - Atualizado em 23/06/2022 às 19:47

A EXTINTA COMUNIDADE DO FUNDO DO RIO DO BOI
 

 

Um dos acontecimentos históricos mais importante da história do município. A comunidade do Fundo do Rio do Boi, de um pequeno povoado que foi constituída quase “dentro do cânion Itaimbezinho”. Sua localização era do ponto onde atualmente encontra-se o PIC Rio do Boi/ICMBio até aproximadamente 3km ao fundo da trilha de escape (usada atualmente para o turismo). Hoje, essa comunidade não existe mais, mas é possível saber muitas histórias e encontrar vestígios e ruínas das famílias que ali viveram. Sabe-se através de pesquisas feitas com os ex-moradores que a comunidade existiu por volta de 1890 até início da década de 1980. Os primeiros moradores que se estabelecerem eram oriundos das fazendas serranas, incumbidos de darem início aos primeiros roçados, plantavam cana para os engenhos e alimentos para a subsistência, tais como milho, mandioca, batatas, etc. O fundo do vale tem terra fértil ao contrário das terras serranas que eram mais voltadas para a pecuária. A comunidade, praticamente, viveu em prol do comércio com as estâncias serranas, tendo caminhos que a ligavam diretamente ao alto da serra, através de uma trilha de tropeiros, a Trilha da Cruzinha, ou Serra da Cruzinha. A Grande enchente de 1974, a criação do Parque Nacional de Aparados da Serra e as transformações sociais foram os grandes fatores para que a comunidade deixasse de existir. Segundo o Sr. Alziro Borges Medeiros, um dos últimos moradores, a comunidade chegou a ter mais de 15 famílias e 5 engenhos de açúcar, atividade que mantinha a economia do local. Saber dessa história é de extrema importância para a valorização da cultura e identidade dos praiagrandenses. Agende uma data para fazer a trilha do Rio do Boi e conhecer as ruínas que por lá estão. Se você conheceu ou conhece algum ex-morador dessa comunidade, comente aqui embaixo.

 

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura.
Fotos: Frank Cardoso Lummertz.
Obras Consultadas: A Roça da Estância (http://www.faed.udesc.br/arquivos/id_submenu/1153/frank__cardoso_lummertz.pdf )


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar